Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > História da Ciência > Projetos de pesquisa > Exposições científicas e sociedade: o caso da Exposição Internacional de Higiene de 1909
Início do conteúdo da página

Território, ciência e nação (1870-1930)

Publicado: Terça, 11 de Abril de 2017, 13h29 | Acessos: 4071

Coordenadora: Moema de Rezende Vergara

Resumo

Este projeto de pesquisa visa investigar as interações entre a produção de representações a respeito do território nacional e a produção científica entre os anos de 1870-1930, tais como a descrição da natureza e os estudos sobre recursos naturais. O objetivo é analisar como determinados símbolos, como o mapa nacional, mobilizaram conhecimentos científicos, como a cartografia e a geodesia. Assim, para efeito do presente projeto ir-se-á destacar o papel da astronomia e sua aplicação na representação do território nacional, tendo como ponto de partida documentos depositados no Arquivo de História da Ciência do MAST. Recebem especial atenção os instrumentos científicos utilizados nos trabalhos de demarcação que também se encontram no acervo do MAST.

Esta pesquisa procura evidenciar os agentes, as instituições e a materialidade da produção científica nesse período, que contribuíram para o mapeamento e demarcações no território nacional e nos limites internacionais.

Este projeto já apresentou resultados, tal como a análise da Comissão Cruls (1894 e 1896), para a definição do local da futura capital federal, no início da República, e que chefiada por Luiz Cruls então diretor do Observatório Astronômico do Rio de Janeiro. A primeira viagem, em 1894, é mais conhecida que a segunda, realizada dois anos depois. Isto se deve ao fato de seu relatório ter sido publicado na Coleção Brasiliana, sendo um importante relato dos aspectos físicos e geográficos do Planalto Central. Sobre o tema foi publicado o capítulo “A Comissão Cruls e o projeto de mudança da Capital Federal na Primeira República” no livro Veredas de Brasília: as expedições geográficas em busca de um sonho, editado pelo IBGE, em 2010.

Um segundo desdobramento do projeto “Território, ciência e nação” foi a análise da Comissão Mista de Limites Brasil-Bolívia (1901), também comandada por Luiz Cruls. Esta Comissão foi importante para corrigir as coordenadas geográficas da nascente do rio Javary, levantada por comissões anteriores. A respeito destas comissões foi publicado o artigo “Ciências, fronteiras e nação: comissões mistas de demarcação dos limites territoriais entre Brasil e Bolívia, 1895-1901” no Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, em 2010.

Outro produto desta pesquisa é a organização anual do curso de extensão para professores, “Instrumentos Científicos, Ciência, Território e Nação”, bem como os Simpósios Temáticos sobre o tema organizados no âmbito da Associação Nacional de História, ANPUH, e no Seminário da Sociedade Brasileira de História da Ciência, SBHC.

Atualmente, a pesquisa está voltada para o estudo do processo de definição de limites entre o Brasil e a Argentina, no começo do século XX.


Equipe

Moema de Rezende Vergara (coordenadora); Bruno Capilé (bolsista PCI - MCTI/ MAST); Bianca Mandarino (mestranda PPG-PMUS, MAST/ Unirio)

 

Site

http://www.portaltcn.com.br

 

Voltar

registrado em:
Fim do conteúdo da página