Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Release
Início do conteúdo da página

MAST promove conversa com Anna Bella Geiser sobre a mostra Local da Ação no sábado (24)

Acessos: 14

Os curadores de arte Paulo Sérgio Duarte e Bernardo Mosqueira e o geógrafo Pedro Geiger irão debater com a artista sobre sua obra

O Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) promove no próximo sábado (24), às 16h, uma conversa da artista Anna Bella Geiger e os curadores de artes visuais Paulo Sérgio Duarte e Bernardo Mosqueira, juntamente com o geógrafo Pedro Geiger sobre a obra da artista e os trabalhos expostos na mostra individual Local da Ação. Inaugurada em 10 de outubro no  Salão Nobre do MAST, esta exposição reúne doze gravuras com temática relacionada à cartografia, que é recorrente em várias fases da produção da artista, além de também ser um tema bastante caro à Geofísica, um dos tripés da área de atuação do Observatório Nacional. Neste acervo estão as obras que deram início à série, a exemplo de Local da Ação Nº1 e Nº11, produzidas entre 1979 e 1980, entre outras de realização mais recente. O conjunto de gravuras expostas tem um diálogo com pesquisas relacionadas ao MAST sobre cartografias e também com o acervo da exposição permanente Olhar o Céu, Medir a Terra, com mapas e instrumentos científicos.

Uma das mais produtivas e prestigiadas artistas visuais do país, Anna Bella Geiger -- discípula da gravadora Fayga Ostrower (1920-2001) e da historiadora Hanna Levy-Deinhard (1912-1984) -- tem alguns de seus trabalhos incorporados a importantes coleções internacionais, como as do MoMA (Nova York), do Centre Georges Pompidou (Paris), do Getty Institute (Los Angeles), da Tate Modern e do Victoria and Albert Museum (Londres). Em seu texto sobre a mostra, Anna Bella Geiger informa que toma por base os "ingredientes" comuns a todos os mapas, como projeção, escala e generalização para elaborar suas gravuras. No entanto, o significado da obra é diferente da observação comum aos mapas porque ela interfere deliberadamente nos traçados com distorções e inserções de textos.

Anna Bella Geiger

Nasceu no Rio de Janeiro em 1933. Graduada em Línguas Anglo-Germânicas na Faculdade Nacional de Filosofia (UFRJ). Ainda nos anos 50 estudou História da Arte e Sociologia da Arte com Hanna Levy-Deinhardt na New York University e na New School for Social Research. Participou da 1ª Exposição Nacional de Arte Abstrata em 1952 no Rio de Janeiro. Em 1962 ganhando, com sua obra abstrata, o Primér Premio Casa de las Americas, Havana, Cuba. Tem exposto regularmente desde então, em exposições individuais e coletivas no Brasil e no Exterior, como em várias Bienais Internacionais de São Paulo, Veneza, Bienalle du Jeune (Paris, 1967),  II Bienal de Liverpool, 5 éme Biennale Internationale de Photographie, (Liège, 2000) e na Trienal Poligráfica de San Juan. Algumas coletivas como Artevida – Arte Política, MAM e Casa França-Brasil (Rio de Janeiro, 2014), América Latina 1960-2013, Fondation Cartier d’Art Contemporaine (Paris, 2013), La Idea de America Latina, CAAC (Sevilha, 2012), Vídeo Vintáge, Centre Pompidou (2012), Europália – A RUA - MUHKA (Antuérpia, 2011), COMO NOS MIRAM, CGAC (2011), Geopoéticas – 8ª Bienal do Mercosul (2011), Elles@Pompidou (Paris, 2009), Cartografias del deseo, Centro de Arte Reina Sofia (2000). Exposição individual PROJECTIONS XXI, MoMA (NY, 1978). Seus trabalhos integram coleções como a do MoMA (Nova York), do Centre Georges Pompidou (Paris), Tate Modern e Victoria and Albert Museum (Londres), Getty Institute (Los Angeles), The FOGG Collection (Boston) entre outras. Publicou, com Fernando Cocchiarale, o livro Abstracionismo geométrico e informal (Funarte, 1987). Ensina no Higher Institute for Fine Arts (HISK), Ghent, Antuérpia e na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV), Rio de Janeiro.

Paulo Sérgio Duarte

Crítico e professor de História da Arte, Paulo Sérgio Duarte, 72 anos, é pesquisador do Centro de Estudos Sociais Aplicados / Cesap da Universidade Candido Mendes, no Rio de Janeiro. Leciona Teoria e História da Arte na Escola de Artes Visuais do Rio de Janeiro – Parque Lage. Foi Assessor-Chefe do Rioarte (1983-85) e primeiro diretor geral do Paço Imperial / Iphan, de 1986 a 1990, responsável pela sua implantação como um centro cultural, período em que foram realizadas, entre outras, as exposições Lygia Clark e Hélio Oiticica, Brasil Holandês, Lasar Segall, Sergio Camargo, Miró e Gaudi, Expedição Langsdorf, Amílcar de Castro (única retrospectiva do artista em vida), Tesouros do Kremlim e Carlos Vergara.

Pedro Geiger

Referência em Geografia no Brasil, Pedro Geiger, 94 anos, tem importantes contribuições como geógrafo do IBGE e como professor da UFRJ, além de mais de 70 títulos publicados entre artigos em revistas especializadas e livros, a exemplo de 'Evolução da Rede Urbana Brasileira', escrito a convite do amigo Darcy Ribeiro. Casado há mais de seis décadas com Anna Bella, sua intensa atuação profissional acabou influenciando na produção da artista, que, a partir dos anos 1970, passou a criar obras de arte em diferentes formatos (gravuras e objetos) com inspiração na Cartografia que a tornaram conhecida mundialmente.

Bernardo Mosqueira

Curador de artes visuais e escritor, Bernardo Mosqueira, 30 anos, é um dos fundadores e gestores do Solar dos Abacaxis, espaço voltado para arte e educação no Rio de Janeiro. Também é  idealizador e diretor do Prêmio FOCO Bradesco ArtRio desde 2013. No campo da escrita, é autor de ensaios, catálogos e do livro de ficção Carta Aberta por Zé Bento e Entendida por Zé Jorge (2013). Entre as dezenas de curadorias que realizou, estão as exposições Quase Casais (EIC Maus Hábitos, Porto, Portugal, 2010) e Anna Bella Geiger, CIRCA MMXIV: Imaginação é um ato de Liberdade (Galeria Mendes Wood DM, SP, 2014).

 

SERVIÇO:

ANNA BELLA GEIGER - LOCAL DA AÇÃO
Conversa da Artista com os curadores Paulo Sérgio Duarte e Bernardo Mosqueira e o geógrafo Pedro Geiger
Sábado (24/11), às 16h

Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST
Rua General Bruce, 586 / Tel:
3514-5299 e 3514-5229

Temporada: 10 de Outubro de 2018 a 27 de janeiro de 2019

Visitação: Terça a sexta, das 9h às 17h; Sábado, das 14h às 19h; Domingos e feriados, das 14h às 18h.

registrado em:
Fim do conteúdo da página